Arquivo da categoria: Livros

Os diários de Carrie

Padrão

A notícia não é nova. Há tempos atrás se especulava muito sobre uma nova série baseado no livro “Os diários de Carrie”, contando mais sobre a juventude do quarteto de Sex and The City. Fãs de Blake Lively ficaram na maior expectativa com a notícia de que ela poderia encarnar a jovem Carrie Bradshaw, mas nada aconteceu. Até que duas semanas atrás, o novo seriado foi confirmado com a Anna Sophia Robb (do remake de A Fantástica Fábrica de Chocolate) no papel que já pertenceu a Sarah Jessica Parker e a roteirista Amy Harris (de Gossip Girl). Sucesso na certa, né?

Enquanto eu comemorava a notícia, dei de cara com o segundo volume dos “Diários”: o Verão e a Cidade. Agora, Carrie já saiu de casa e dá os primeiros passinhos na Big Apple com a ajuda de Samantha e Miranda. Quem ainda não leu, tem que ler! É daquelas histórias deliciosas, para ler em uma sentada só!

Ótima pedida para esperar a estreia da série!

O menino do pijama listrado

Padrão

Uma das minhas resoluções de ano novo – que eu tento cumprir já tem uns 3 anos – é ver um filme por semana e ler dois livros por mês. Esses dias eu consegui a proeza de ler o livro E ver o filme baseado na obra, riscando os dois da minha listinha. E já sei que O menino do pijama listrado vai ser um dos meus preferidos de 2012!
Comecei pelo livro que tem uma das orelhas mais intrigantes que eu já li. O texto, que geralmente é escrito de modo a introduzir o leitor na história – e assim fazê-lo comprar o livro -, não revelava absolutamente nada. Apenas dizia que o personagem principal era Bruno, um menino de oito anos.


Pra ninguém ficar no escuro, explico brevemente. Bruno mora em Berlim, na época da Segunda Guerra. Filho de um oficial do exército alemão, ele e sua família são transferidos para um lugar, digamos, bem diferente de onde ele cresceu. Lá, ele conhece Shmuel, o tal menino do pijama listrado, que diz o título. É bem difícil explicar o nazismo para uma criança tão pequena, ainda mais sendo ela o filho de um dos homens de confiança de Hitler, mas aos poucos, Bruno vai descobrindo por si só.
Mais não dá pra dizer, senão acaba a graça. Mas vale a pena, se possível, ler o livro e só então ver o filme. Vera Farmiga dá show como Elsa e nem asa Butterfield (o Bruno) fica atrás. Imperdível para ler e ver nas férias!

Eu quero: livros!

Padrão

Os aficionados por moda e livros tem muito o que comemorar nesse natal. Há alguns meses as livrarias vêm sendo recheadas de livros contando um pouco das histórias das marcas, dos criadores e daquelas peças que poderiam chegar facilmente ao status de arte.
Pra facilitar as escolhas, fizemos uma lista dos indispensáveis para se ter na prateleira ou na mesinha de centro. Mas atenção, livro que serve de enfeite também serve pra ser lido tá, gente? Não é mero objeto de decoração, não!
Cultura é bom e a gente gosta!

Christian Loubotin
Para comemorar os 20 anos da marca, nada melhor que um livro desses, que ainda conta com o prefácio de John Malcovitch e imagens de David Lynch.  Para os fãs das solas vermelhas!

Vogue: the covers
Uma das revistas mais conceituadas do mundo, a Vogue foi responsável por registrar, mostrar e até criar a moda como conhecemos hoje. Uma trajetória de 120 anos merece ser documentada nessa compilação de 300 capas incríveis! Vale muito a pena ter, guardar, olhar, e se inpirar.

Chanel: The Vocabulary of Style
Se você morre de vontade de saber mais sobre o pretinho básico, Chanel nº5, a bolsa de correntes, colar de pérolas, e outras criações da Maison Chanel, esse livro é pra você. Tá tudo aqui, com detalhes!

The Tale of the Elves and the Shoemaker
Um dos designers de sapatos mais importantes do século, Manolo Blahnik teve sua biografia transformada em conto de fada pela Camila Morton (que escreveu Como andar de salto alto). Nascido nas Ilhas Canárias e criado em uma plantação de banana, Blahnik teve a ajuda de uma fada-madrinha especial, a editora de moda Diana Vreeland, que mostrou a ele que caminho seguir. O resultado são sapatos M-A-R-A-V-I-L-H-O-S-O-S que encantam mulheres reais (Madonna, Lady Di, entre outras) e as da ficção (Carrie Bradshaw, Serena van der Woodsen).

100 Unforgettable Dresses
Para mostrar que moda tem sim, relação com momentos históricos, Hal Rubenstein, diretor da Instyle, reúne em seu livro 100 vestidos que marcaram época de alguma forma. Desde o famoso pretinho básico de Givenchy usado por Audrey Hepburn em Bonequinha de Luxo, até a criação de Jason Wu, usado por Michelle Obama na posse de seu marido, aqui tem de tudo um pouco. Essencial!

Você pode encontrar todos na Amazon!

A Parisiense – guia de estilo de Ines de la Fressange

Padrão

Essa semana achei na livraria A Parisiense, o guia de estilo escrito por Ines de la Fressange – uma das mulheres mais elegantes da França – e ilustrado por Sophie Gachet. Já tem um bom tempo que li em algum blog sobre a versão original do livro. Até pensei em pedir o meu na Amazon mas, como Je ne parle pas un mot de français, achei melhor esperar a edição brasileira.


Óbvio que comprei assim que vi – R$49,90, na Galileu aqui do Rio – e não me arrependi. Além de bem ilustrado, ele é cheio de dicas úteis e práticas pra quem quer ter estilo sem gastar (muito) dinheiro e o melhor, sem parecer ter feito esforço.


Segundo Ines, esse é o segredo da elegância das mulheres parisienses. Você não precisa ter a ir bag do momento pra ter estilo. Só criatividade e uma boa dose de auto-conhecimento. Ela ainda dá dicas de peças coringas para se ter no armário, como fazer combinações nada óbvias entre elas e um roteiro ótimo de lugares incríves em Paris.


Ótima dica de presente de Natal pra aquela amiga assim meio sem-noção na hora de se vestir ! 😉

Gaveta de Bolso

Padrão

Depois de passar horas em frente ao computador escrevendo uns cinco textos por dia (#vidadereporter), tudo o que a gente quer quando chega em casa é relaxar a mente. Aliás, esses momentos de aparente ócio são essenciais pra deixar as boas ideias chegarem e o pensamento fluir melhor.

E, se antes a gente relaxava dos estudos brincando com o Almanacão de Férias da Turma da Monica hoje a gente tem disponível algo tão legal quanto. É o Gaveta de Bolso, livro interativo criado a quatro mãos, pela Juliana Cunha (repórter e autora do ótimo Já Matei por Menos) e pela Luda Lina (designer e ilustradora).


A ideia do Gaveta é unir os textos da Juliana, as imagens da Luda e as ideias do leitor. E de cara já rola uma identificação. Quem é que nunca fez uma lista dessa?


Se interessou? Você pode comprar o livro por R$39 clicando aqui, ou baixar clicando aqui. Cá entre nós, vale super a pena comprar a versão impressa e sair preenchendo naqueles momentos de tédio na fila do banco, esperando o ônibus e sempre que o ócio criativo se fizer necessário.


O mais legal: o livro faz parte do Creative Commons, e seu textos e suas imagens podem ser usados livremente (com crédito e sem finalidade comercial).
Ótima dica de presente, não?

Como andar de salto alto – o guia da Cinderela moderna

Padrão

Pra quem mora no Rio (e gosta de ler!), poucos programas são tão legais quanto ficar hoooooras perdida na Livraria da Travessa, folheando, observando, pesquisando, comprando, e anotando no caderninho quais serão as próximas aquisições.
Foi num desses passeios que eu encontrei o livro “Como Andar de Salto Alto – o Guia da Cinderela Moderna”. Confesso que ele me chamou atenção já pelo título porque eu não sou conhecida pelo meu andar elegante, digamos assim.


Mas o livro te ensina bem mais do que como não levar tombos por aí. A jornalista Camilla Morton te mostra como se transformar em uma espécie de it girl explicando, didaticamente, como funciona aquelas coisas que todo mundo parece saber menos você. Não importa a área, Camila tem resposta pra tudo: como ter estilo, como entender de política, como decorar seu jardim, como preparar um jantar, fazer apostas, pedir empréstimo no banco e até como lidar com problemas nos relacionamentos.


Bem relacionada que é, ela ainda pede ajuda a seus amigos para incrementar o guia. Gisele Bündchen ensina como sair bem na foto, Manolo Blahnik mostra como escolher bons sapatos, a musa do punk Vivienne Westwood dá dicas para entender de arte, Stella McCartney te ensina a conseguir conseguir um bom alfaiate, e muito mais. O prefácio ainda foi escrito por John Galliano, com quem Camilla trabalhou por alguns anos, na Dior.

 
Vale ler e deixar sempre à mão para qualquer consulta.

 
E se você acha difícil aprender a andar de salto em um livro, não tem problema. O instrutor de passarela Namie Wihby deu dicas ótimas no Vamos Combinar (do canal GNT) e dá pra ver tudo aqui!

 

XV Bienal do livro

Padrão

Eu não sei o que os organizadores de evento tem na cabeça pra juntar a XV Bienal do Livro E o Top Fashion Bazar no mesmo mês no Rio, mas eu tenho certeza de que ninguém pensou na minha conta bancária.

Fato é que a Bienal começa hoje, vai até o dia 11 de setembro e é um programão imperdível pra quem gosta de ler. Quem não gosta, faz favor de ir e aprender a gostar porque você não sabe o que tá perdendo.

É longinho, lá no Riocentro, mas ó, eu vou desde criança e juro que vale super a pena. Além de bater perna por aqueles pavilhões enoooooormes (vá de tênis!) atrás dos livros, você ainda pode conhecer os autores que estarão por lá conversando com os leitores.

Esse ano temos a Anne Rice (autora de Entrevista com o Vampiro, que virou filme com o Tom Cruise e o Brad Pitt, lembra?), Hillary Duff (que além de cantar, dançar, e interpretar ainda escreve!), nossas figurinhas carimbadas brazucas Luis Fernando Veríssimo, Martha Medeiros, Ruy Castro, Zuenir Ventura e muitos outros!

Ando um pouco por fora dos lançamentos das editoras, mas bato meu ponto toda semana em várias livrarias perto do trabalho e aos poucos vou montar minha (ENORME!) listinha. Se você precisa de indicações para não se perder no evento, essas sugestões podem ser bacanas!

Se você gosta de moda:

Estes são essenciais na sua prateleira! As 100 + e O Livro Negro de Estilo. Ambos foram escritos pela Nina Garcia (segue a moça no twitter que é bacana!), editora de moda da Marie Claire americana e jurada do Project Runway. Ou seja, ela sabe do que tá falando. O primeiro ela fala sobre as peças essenciais que a mulher deve ter para ter um guarda-roupa incrível, e no segundo, dá dicas para construir seu estilo próprio e fazer dele sua marca registrada. Parece simples, mas nem sempre é.


Se você é fã de chick-lit:

Marian Keyes e Sophia Kinsellla que me desculpem, mas pra mim ninguém é melhor que a Lauren Weisberg. Sim, a autora de O Diabo Veste Prada e Todo mundo que vale a pena conhecer.

Se você já leu os dois e se apaixonou, se jogue no À Caça de Harry Winston e no mais recente, Last Night at Chateau Marmont, sobre o  hotel famoso por suas lendas envolvendo estrelas de Hollywood e do rock’n’roll. Se as histórias citadas são verdadeiras eu não sei, mas ta valendo a leitura mesmo assim. Diz a autora que, mesmo sem dar nomes, os personagens são facilmente identificáveis. (Anna Wintour feelings?)

Se você gosta dos clássicos:

Bati o olho em Aprendi com Jane Austen e imediatamente tive vontade de comprar. Mas, como eu mesma não tinha aprendido nada com ela, resolvi mergulhar nos seus romances primeiro (atenção, gente: só o filme não vale, né?). Corri e comprei a edição de bolsa da L&PM de Orgulho e Preconceito e, até agora, to amando! Aproveita, se empolga, e leia logo os dois.

Se você gosta de thrillers:

Li sobre O Quarto (da Emma Donoghue) no blog do Zeca Camargo e já amei a ideia. É a história de uam criança que foi criada presa em um quarto, como tantas histórias que a gente vê por aí. O Quarto do título é seu mundo inteiro, seu vocabulário limitado mas, sua inteligência não. Como um menino de cinco anos vê o minúsculo mundo que o cerca?

Mais um sobre crianças: Minha irmã, meu amor, da Joyce Carol Oates. Baseado em fatos reais, o livro narrado em primeira pessoa conta a história de Skyler, que teve a irmã brutalmente assassinada aos 6 anos. Nem sempre é fácil ser o sobrevivente de um crime que abalou os Estados Unidos na década de 1990.

Se você gosta de biografias:

Nem a Maison Chanel sabe direito o que é verdade e o que não é na vida de mademoiselle Gabrielle, mas essa nova biografia parece ter certeza. Segundo o livro “Sleeping with the Enemy: Coco Chanel’s Secret War“, a estilista trabalhou para os nazistas durante a Segunda Guerra. Será?

Se você prefere ficar longe das polêmicas, vá de Yves Saint Laurent- A arte da elegância.

Mas lembre-se: Bienal é como uma viagem. Você pode planejar o quanto quiser, mas não tem nada mais divertido do que entrar num estande aleatório e escolher um livro pela capa. Você pode se surpreender!